jusbrasil.com.br
9 de Dezembro de 2016
    Adicione tópicos

    TJ-ES - Apelação Civel : AC 48040015264 ES 048040015264

    APELAÇAO CÍVEL EMBARGOS À EXECUÇAO - HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS - INCIDÊNCIA DE IMPOSTO DE RENDA - ART. 46 DA LEI 8.541/92 - RETENÇAO NA FONTE - SUBTRAÇAO DOQUANTUMEXEQÜENDO - IMPOSSIBILIDADE - RETENÇAO NO MOMENTO DO EFETIVO PAGAMENTO - RATEAMENTO PROPORCIONAL DA VERBA DE SUCUMBÊNCIA - SUCUMBÊNCIA RECÍPROCA - COMPENSAÇAO - ART. 21 DO CPC - INEXIGIBILIDADE DAS CUSTAS E HONORÁRIOS - INSUBSISTÊNCIA, ANTE A PERSPECTIVA DE RECEBIMENTO DE VULTOSA INDENIZAÇAO - CONDIÇAO FUTURA - RECURSO IMPROVIDO.

    Processo
    AC 48040015264 ES 048040015264
    Orgão Julgador
    QUARTA CÂMARA CÍVEL
    Publicação
    09/02/2006
    Julgamento
    13 de Dezembro de 2005
    Relator
    CATHARINA MARIA NOVAES BARCELLOS
    Andamento do Processo

    Ementa

    APELAÇAO CÍVEL EMBARGOS À EXECUÇAO - HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS - INCIDÊNCIA DE IMPOSTO DE RENDA - ART. 46 DA LEI 8.541/92 - RETENÇAO NA FONTE - SUBTRAÇAO DOQUANTUMEXEQÜENDO - IMPOSSIBILIDADE - RETENÇAO NO MOMENTO DO EFETIVO PAGAMENTO - RATEAMENTO PROPORCIONAL DA VERBA DE SUCUMBÊNCIA - SUCUMBÊNCIA RECÍPROCA - COMPENSAÇAO - ART. 21 DO CPC - INEXIGIBILIDADE DAS CUSTAS E HONORÁRIOS - INSUBSISTÊNCIA, ANTE A PERSPECTIVA DE RECEBIMENTO DE VULTOSA INDENIZAÇAO - CONDIÇAO FUTURA - RECURSO IMPROVIDO.

    1) Incide o imposto de renda sobre os honorários advocatícios. Contudo, não é adequado que o valor correspondente ao tributo, calculado sobre a verba honorária, seja desde logo decotado do montante da execução, uma vez que a segunda parte do artigo 46 da Lei 8.514/92, prescreve que o percentual devido será retido na fonte¿no momento em que, por qualquer forma, o rendimento se torne disponível para o beneficiário¿.Destarte, só tem vez a retenção do imposto quando do efetivo pagamento do crédito.

    2) A parte em que a recorrente foi vencedora refere-se somente à questão dos juros legais. A redução dos honorários é mera conseqüência do provimento daquele pedido, e que, portanto, não deverá repercutir na aferição da sucumbência.

    3) Verificada a sucumbência recíproca, é adequada a compensação das custas e honorários entre os demandantes, na forma do artigo 21 do Código de Processo Civil.

    4) A inexigibilidade das verbas de sucumbência, conferida ao demandante amparado pela assistência judiciária gratuita, persiste até que reste demonstrado que a parte não faz mais jus ao benefício, conforme o 2º, do artigo 11, e artigo 12, ambos da Lei 1.060/50. No presente caso, não merece acato a tese da recorrente, de que a apelada irá receber vultosa indenização, que importará na modificação de sua situação econômica, simplesmente porque ainda não foi paga a indenização devida.

    Veja essa decisão na íntegra
    É gratuito. Basta se cadastrar.
    Disponível em: http://tj-es.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/6984154/apelacao-civel-ac-48040015264-es-048040015264-tjes

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)